terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ùltimo e oitavo dia em Berlim

De manha eu quis dar um pulo na catedral de Berlim (Berliner Dom) para rezar e ascender velas. Íamos nos retirar quando notei uma senhora asiática vestindo uma roupa vermelha meio pomposa para a hora do dia. O vestido era comprido e tinha apliques de renda preta. Como sou curiosa,  a segui e vi que ela foi andando até um corredor onde pessoas jovens esperavam em fila indiana. As moças vestiam o mesmo vestido vermelho rendado. Perguntei à senhora do que se tratava. Respondeu-me que o coro da Universidade das Filipinas ia se apresentar. Convidei o marido e Guilherme para voltar, sentar e escutar. Logo depois os cantores saíram do esconderijo e foram andando a passos ligeiros e com as costas retas. Moveram-se com delicadeza até se posicionar frente ao altar onde iniciaram os cantos. A senhora, meio gorduchinha, comandava o coro com energéticos movimentos dos braços.  Senti-me abençoada por viver um momento assim. Tinham vozes divinas que me fizeram chorar copiosamente. Choro facilmente, principalmente quando me deparo com cantos religiosos num lugar sagrado... Depois da apresentação, fui parabenizar os cantores. Tirei foto dessa moça, vejam como é delicada! Uma princesa!

Depois fomos andando até a Ilha dos museus para visitar o Neues Museum onde são expostas as coleções sobre o Antigo Egito. Encontramos sarcófagos, mascaras para cobrir o rosto das múmias e objetos de uso diário reencontrados nos túmulos. Tirei foto dessas figuras de barro. Vejam como são parecidas com as famílias de retirantes fabricadas pelo Mestre Vitalino de Caruaru (PE). Nada se cria, tudo se copia.


Por mais incrível que pareça, esta molheira ultramoderna, de prata banhada a ouro, foi fabricada três séculos antes do Cristo. É uma replica da molheira do tesouro de Priamo. Tanto Guilherme como eu caímos de amor e já estávamos imaginando servir um molho bearnês para futuros convidados. Fomos até a loja do museu para saber se havia alguma para comprar. Um modelo estava à venda, mas era muito maior do que a peça exposta no museu e era de cerâmica. Enfim, desistimos de comprar.



A estrela da exposição é sem duvida a rainha NEFERTITI. O seu busto de calcário, que tem em torno de 3400 anos, mostra o quanto são delicados os traços desta mulher que virou ícone de beleza. A escultura foi descoberta em 1912 por arqueólogos alemães. Foi exposta em vários outros lugares: no castelo de Charlottenburg e no Altes Museum, por exemplo. A peça fica numa sala reservada somente para ela. Foi colocada numa base alta que deixa o seu rosto na altura elevada de uma pessoa com grande porte. A sala é escura e uma preciosa luminosidade acaricia unicamente o rosto e os ombros da bela mulher. Não era permitido tirar foto então me contentei com a reprodução caolha vendida na loja do museu.


Aqui uma pequena refeição feita na cafeteria do museu. Bolinhos de carne de cordeiro, cuscuz, um molho a base de curry e cebolinhas confeitadas.


Saímos do museu. Aqui o meu marido pousando diante de uma casa que acreditávamos ser a residência da chanceler  Ângela Merkel. Descobri que a dica não era a boa. O prédio da primeira ministra fica um pouquinho mais a frente, exatamente onde vi alguns policiais vigiando a entrada de um prédio menos ostentativo. 








Fomos até o famoso museu PERGAMON onde vi instalações impressionantes como o Altar de Pérgamo, magnífica construção dedicada a Zeus. Foi construída dois séculos antes do Cristo na cidade grega de Pérgamo (situada na atual Turquia). O altar estava bem deteriorado. Escavado no final do século XIX, foi enviado para a Alemanha onde foi reconstruído. 


Aqui a maravilhosa porta de Ishtar, oitavo portal da cidade mesopotâmica da Babilônia. Foi erguida seis séculos antes do Cristo por ordem do rei Nabucodonosor II. Decorada com azulejos azuis, possui faixas de baixo relevo representando uns dragões. A reconstrução da Porta de Ishtar foi feita utilizando o material escavado e fico pronto em 1930. Possui 14 metros de altura e 30 metros de comprimento. Partes do portal encontram-se espalhados por diversos museus ao redor do mundo. Apenas dois museus adquiriram dragões enquanto leões estão em alguns poucos museus. Vi uns leões, dragões e bois no Museu Arqueológico de Istambul quando visitei a cidade em Abril de 2012.



Esta é a peça que eu queria muito ver. Rodei um pouco dentro do museu até achar a salinha escura onde se encontra. Precisei ter muita paciência para esperar os visitantes se retirarem. Esperei um bocado até ficar sozinha na sala e poder tirar a foto tentando alinhar duas quinas da vitrina em uma só. Este chapéu é de fato o revestimento exterior de uma peça que devia ser de material orgânico. O chapéu que se encontra em Berlim é o mais bem conservado entre os quatro outros achados na Europa central. Todos foram encontrados nos séculos XIX e XX. Acredita se que este era utilizado por um sacerdote durante o culto ao sol. Parece também que tinha funções astronômicas ou era um calendário. Um estudo da técnica empregada sugere que foi feita entre 1000 e 800 anos antes do Cristo.

Fomos parar na Alexanderplatz para tomar uma cerveja. O meu marido queria muito conhecer o lugar. Ele gostou de um filme, dirigido pelo Raineer Werner Fassbinder, que tem esta praça como cenário. É fã também do filme Identidade Bourne. Parece que é no segundo episódio, em Supremacia Bourne, que algumas cenas foram filmadas neste espaço. Curtição de cinéfilo!



Terminamos o dia no restaurante VAU. Era o nosso jantar de despedida. Guilherme usou um blazer maravilhoso. Aquele colete que parece estar vestindo por debaixo é somente um detalhe do próprio blazer! E a gravata? É pintada no tecido da camisa. Muito estiloso mesmo! Na mesa ao lado havia uma senhora usando uma roupa com estampado exagerado e uma maquiagem teatral. Jantou sozinha. Pediu entrada + prato principal + sobremesa + vinho. Guilherme suspeitou que fosse uma cantora lírica ou uma atriz de teatro jantando após uma apresentação.

4 comentários:

  1. ethel cox viana mafra28 de setembro de 2012 22:36

    Chantal,
    Confesso, sou sua fã!Jamais li descrições tão pitorescas e detalhadas sobre alguma viagem feita por alguém. Geralmente são comentários superficiais e via de regra sobre compras ou restaurantes "in". Essas pessoas me cansam muito e acabo por achar um tédio o relato fútil que fazem.
    Observar cada comentário que vc faz acerca de cada foto postada é um prazer!!!!!!!!!!!Culminando com a foto do seu amigo Guilherme e seu "blazer"!
    Muito bom!
    Vc é extraordinária, rica em sensibilidade, rica em conhecimento, rica em vivência...e ainda é francesa.rsssss
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Ethel,
    Você nem imagina o quanto fico feliz com o que você escreveu! Demora muito para carregar fotos e escrever num blog. Gasto um tempão, mas raramente sou recompensada por um belo comentário como o teu. Fiquei bem contente! Mando um beijo e um abração

    ResponderExcluir
  3. ethel cox viana mafra28 de setembro de 2012 23:09

    Rssssssss
    Fique certa de que são comentários sinceros como é o meu jeito de ser.
    Bj.

    ResponderExcluir